terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Ana Jácomo

 
"Simplesmente, não sei: embora raras vezes eu já consiga entrar nele, sinto que este é um dos lugares de maior descanso, de maior abertura, de maior oportunidade, para onde a liberdade de vez em quando me traz.

A vida é tecida com os fios disponíveis de cada agora. De cada respiro. De cada ação. De cada acontecimento. De cada sabor. É essa tecelã que olha para você neste instante e me olha também. O que ainda não veio, quem sabe? Eu não sei.
Sabor é o presente. Saber é quando a gente desembrulha."
 
 
Ana Jácomo

Um comentário:

Secreta disse...

Saber é o momento.